domingo, 5 de abril de 2009

Mestres das seis cordas com Francinni Bessie

Às vezes me pergunto até onde o Blues pode chegar sem divulgação. Mas eis que uma prova viva disso surge no interior de São Paulo, em Sta. Cruz do Rio Pardo, que tradicionalmente não é uma cidade que se escuta Rock muito menos o Blues.

A jovem Francinni Bessie, de apenas 20 anos, que aprendeu praticamente a tocar sozinha, está aqui para nos contar um pouco de sua vida musical e mostra um talento incrível com a guitarra.

O Blog fica muito feliz publicando a primeira entrevista desta menina, que tem um futuru brilhante.

TB: Na sua idade, a maioria das meninas curte outros tipos de sons, músicas da moda e geralmente vão para lugares onde quase nunca tem banda ao vivo tocando Rock, muito menos Blues. Fico me perguntando, como o blues entrou na sua vida? E porque a guitarra?

FB: "Infelizmente, comecei a gostar de música um pouco tarde. Quando criança, meus pais ouviam rock clássico, mas nunca gostei do 'barulho'. Meu contato com a música começou mais tarde, por volta dos 16 anos, quando finalmente comecei a ter interesse por bandas como The Beatles, mas o interesse pela guitarra começou a surgir ainda depois, quando conheci o Blues.

Meu primeiro contato foi num bar, com uma banda ao vivo: quando ouvi aquilo fiquei sem palavras, o feeling, o ritmo, as letras. Era aquilo que eu queria pesquisar, estudar e, por que não, tocar pro resto da minha vida. Foi como um amor à primeira vista! Lembro-me de começar a pesquisar sobre o Blues no dia seguinte, quando descobri que ele era a raiz do Rock'n'Roll!

Após isso, conheci todos tipos de Blues, das raízes do Delta do Mississipi ao elétrico Texano!"

TB: Percebi que uma de suas maiores influencias é o mestre Stevie Ray Vaughan, quem te apresentou ao som dele? Quais suas outras influencias?

FB: "Praticamente, continuando a resposta anterior, foi quando, por meio dessas pesquisas sobre o Blues, Conheci o mestre Stevie Ray Vaughan. Até então nunca havia visto um Blues com tanto feeling, com tanta emoção e o mais surpreendente: um branco!

Fiquei realmente chocada, e me apaixonei imediatamente pelo feeling. Graças a ele, comecei a tocar guitarra, tentando tirar suas musicas de ouvido. Parecia loucura, mas eu consegui!

Minhas outras influências na guitarra, embora transpareça apenas SRV, Albert King e Muddy Waters são: Albert Collins, Guitar Slim, Jimmie Vaughan, Otis Rush, Eric Clapton, Jimi Hendrix, Freddie King. Mas, não posso deixar de citar outros nomes que não sei se devo chamar de influências por enquanto, mas sou apaixonada, como Johnny Winter e Rory Gallagher. No Delta Blues também adoro Skip james, R. L Burnside, Son House e, é claro Robert Johnson. Aqui no Brasil gosto muito do Blues de Otávio Rocha e do Fred Sun Walk que são guitarristas muito expressivos, cada um com sua maneira de tocar."

TB: Todo guitarrista procura sua própria identidade, melhor dizendo, seu próprio timbre. Você ainda está nessa busca? O que você usa hoje?

FB: "Acredito que uma das etapas mais difíceis na carreira de um guitarrista seja essa busca pelo estilo próprio. Grandes guitarristas tiveram essa dificuldade, mas ela é superada quando você se sente seguro improvisando o que vier em mente.

Eu comecei há pouco tempo, estou apenas iniciando essa eterna busca, mas acho que timbre tem a ver com a identidade e gosto de cada um e é uma coisa que se adquire com os anos. O mesmo vale para a identidade sonora."

TB: Onde você pretende chegar com seu Blues? Quais suas ambições musicais?

FB: "Pretendo manter-me estudando e ouvindo o Blues, sempre com muita dedicação. Gostaria também de compor e ter bons músicos para me acompanhar, uma boa cozinha é tudo no Blues.

Enfim, meu maior prazer é tocar Blues da maneira que posso e pretendo fazer isso para sempre."

TB: Francinni, muito obrigado por dedicar um pouco do seu tempo para i blog. Deixo aqui um espaço para seus comentários finais.

FB: "Eu que agradeço o espaço cedido e a grande iniciativa de se dedicar a um Blog que divulga o Blues e tantos músicos brasileiros competentes. Sinto-me honrada estando aqui e contribuindo um pouco com isso tudo.

Há pouco tempo, tocar Blues era um sonho distante pra mim, moro numa cidade pequena, onde é muito difícil encontrar músicos e muito menos que toquem Blues. Hoje graças ao incentivo de pessoas como Otávio Rocha, percebi que é possível, basta querer e abraçar todas as oportunidades. Aproveito também para agradecer todas as pessoas que tem acreditado em mim, André Christovam, Luciano Boca, Gustavo Andrade e a Hot Spot Blues Band, que me indicou para o Blog, Big Gilson e Fred Sun Walk, e todos os convites para jams e Festivais etc... Um dia eu chego lá!"





Veja mais:
-
Myspace
- Youtube

Obrigado meu amigo Gustavo Andrade, pela dica!!!

12 comentários:

FABRICIO disse...

Vai lá Francineide!
Mandando bala!
Bends up!\\o/

Thiago disse...

Que orgulho ler esta entrevista da Bessie! Ainda mais por ter acompanhado esta garotinha de perto nos ultimos 3 anos.
Espero que seja só o comecinho de uma longa carreira de sucesso!
Parabéns pro Blog pela garimpagem. Vai ser de grande valia! Abraço

marceloll16 disse...

Muitooo Massaa Fran!
Parabenss , vc é muitooo feraa e tenho certeza q isso é soh o começoo se um sucesso grandioso!

precisamos saber!!! disse...

Sonzeira total, Parabens Francine precisamos de mais mulheres como voce tocando guitarra blues com essa competencia

Andre disse...

poo muito legal a entrevista!!
ela merece tudo de bom, com certeza vai brilhar!!
sucesso pra vc querida!
long live SRV!!!!

Andre disse...

muito legal a entrevista!!
parabens francinni!
com certeza vc vai longe!
vc merece tudo de bom querida!
long live SRV!

Elizabeth disse...

Olá Francine, eu não te conheço pessoalmente mas fiquei muito feliz de ver este blog e essa entrevista.
Realmente me emocionei em saber que uma garota da sua idade tem um gosto refinado escolhendo o blues para sua vida.
Eu não toco nada, mas sou amante do blues tb, e assim como vc apaixonada por SRV, Albert King, Jimmie Vaughan, Eric Clapton, Robert J. e Jimi Hendrix!
Existe um outro grande guitarrista que vc possivelmente deve ter ouvido falar: Doyle Bramhall II, ele tem sido meu ídolo nos ultimos anos e tenho dedicado um fan club aqui no Brasil ao trabalho dele.
http://www.doylebramhall2.blogger.com.br
SE vc desejar entre em contato comigo, vou adorar :)
A propósito, curti muito sua roupa na foto, bem ao estilo texano. Arrasou! Abraços e muito sucesso

miro disse...

Pois é...vi, ouvi ao vivo e em cores...perfeição à toda prova!
Que teu brilho e humildade permaneçam sempre na sua cola, moça!
Como sou de rádio, um grande amigo já comentou e muito bem a respeito de Vossa Senhoria - Ricardo Corte Real (tambem blusêro assumido). Estás no caminho das pedras, e que seja assim sempre...e Mr. Blues Bar aqui em Sampa te aguarda, moça!
grande beijo, and blues 4 ever!!

Anônimo disse...

Legal!! Esta garota vai longe!!! Persistência é a palavra!!!

Mts bends e pentas...

bjsss
Carlos Canteri

SEYMOR disse...

ela sem duvida!!! é uma otima guitarrista!!!...nem perece que chegou ao que é hoje em tres anos... mais se naum fosse inspirada por steve e etc, etc, hoje ela naum teria eu como seu alunooo!!! ^^ OBS: "tenho mais afinidade com rock classico e outros tipos, mais já conheci bem o blues com ela!"

Jack disse...

Comovente! O futuro é seu!

juninhu disse...

E ja tive o privilegio de v essa menina toca,toca muitoo!!
parabens!!
que deus te ilumine sempre,e que vc teja uma carreira brilhante!!
te desejo toda sorte do munto
bejs