quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Mestres do Slide com Felipe Apolônio "Fapo"

Este é mais um músico que encontrei por acaso neste mundão, alias, foi ele quem entrou o blog e deixou um comentário, indicando um de seus vídeos. Fui ver o vídeo, gostei muito e por este motivo ele está aqui.

Apesar de não ser um efetivo músico de Blues, ele toca muito bem slide, e isso basta para ele estar aqui.E fora isso, ele é um cara que toca guitarra havaiana, a weissenborn.

Então apresento para vocês que não o conhecem, Felipe Apolônio “Fapo”, um recifence que mora em Porto Alegre, e tem muita história boa para contar.

TB: O que você está tocando na foto é um weissenborn?

Fapo: "Isto mesmo, eh um weissenborn, que por acaso tem uma história interessante.Toco guitarra há dezesseis anos, slide sempre foi minha paixão, mais sempre achei um pouco desconfortável o fato de nao conseguir mais mobilidade no método bottleneck, sempre achei um tanto limitado, mesmo assim segui me aperfeiçoando durante os anos.




Toquei em várias bandas em recife, e até a primeira canção que escreví possuía um riff de slide (Recado P Virgulino - Mamutes no Asfalto). Fim dos anos 90 inicio 2000 com a popularização da internet vim a conhecer artistas como David Lindley, Bob Brozmann e Ben Harper, nao conseguia entender como eles conseguiam tirar aquele som de slide que me chamava tanto a atenção.Ví que eles utilizavam um violão de colo, tocando com uma barra de metal, e depois vim a descobri que se tratava de um violão havaiano.

Bem, impossível de conseguir aqui no Brasil um desses, né. Tive que me virar aumentando o traste do violão (como faz o Kelly Joe Phelps), até que em 2005 conheci o Christiaan Oyens, que também eh um admirador do instrumento, e fez a ponte para que eu conseguisse um com o Tonnella, que tinha um usado.

Bem, ainda nao era o som... pesquisei um pouco mais e em um fórum peguei o e-mail de um luthier californiano chamado William, conversamos bastante e fiz o meu pedido, ele me convenceu a levar um eletrico que ele havia construído. Bem deste início surgio uma amizade, gravei alguns sons e mandei para ele, que de amigo virou admirador do meu trabalho e me concedeu um hiper desconto no proximo instrumento que eu comprasse, um desconto praticamente de endorser. Um belo dia recebo um mail dele me dizendo que havia mostrado minhas musicas para o Ben (que Ben) ele disse Ben Harper, sou eu quem faço os instrumentos dele... quase caí para trás.

Bem, hoje possuo dois lap stell dele, um eletrico baseado no weissenborn, e uma réplica de weissenborn inteiro em koa, uma tetéia.Esta amizade fez a ponte para que eu conhecesse o Ben Harper Pessoalmente, e acompanhasse como convidado a ultima tour dele pelo brasil."

TB: Aproveitando seu conhecimento em weissenborn, quais são as diferenças dele em relação a um violão?

Fapo: "Olha, para quem olha de longe não muitas, pois visualmente possui seis cordas e um buraco no meio como diz minha esposa.

Olhando mais proximamente, a sulhueta do corpo é mais acentuada, espaçamento maior entre as cordas, e geralmente eh feito de uma unica madeira grande diferença se dá por ele ser inteiramente "oco", como ele não entorta etc só a física explica, principalmente pelo fato do braço ser quadrado.

A parte as questões materiais, isto fáz uma diferença enorme na sonoridade, projessão sonora bem maior, graves muito mais fortes e timbre único.Eh um instrumento muito interessante para emular a voz humana, e eh isso que venho tentando fazer. Eh meio complicado vc colocar um instrumento desses no colo e querer ser técnico, simplesmente nao dá, pois ele cria uma conexão com a musica que está muito além da tecnica."

TB: O Blog tem como tema o Blues, porém sua técnica de slide não pode ser ignorada e nem ficar fora dele. Sei que você segue outros estilos, sem querer rotular sua música, mas em qual ou quais gêneros ela se enquadra?

Fapo: "Olha, nao sei te dizer. Estudei violão erudito mas fui atraído para a guitarra elétrica pelo blues de BBKing e Hendrix, ainda lembro qdo escutei esta dobradinha pela primeira vez em um programa de rádio do Marcelo nova qdo tinha aprox 14 anos, as músicas eram Red House e The Thrill is Gone, e isto me colocou num caminho completamente diferente.Escuto de tudo, de tudo mesmo, amo folk e blues acustico. Como sempre gostei muito de tocar violão, cada vez mais volto ao básico, e mesmo sem querer as canções que mais me atraem na musica são as acústicas. Sempre componho no violão e uma coisa que nunca havia feito antes foi colocar um guitarrista solo na banda p que eu pudesse ficar somente no violão, para aqueles que me conhecem de outros carnavais isto soa bizarro."

TB: Muito obrigado pela sua enorme contribuição, e gostaria de deixar este espaço para seus comentários finais.

Fapo: "Fico feliz em encontrar mais paginas destinadas ao tema, acho que o blues tem um público e excelentes artistas no brasil, apenas precisa se estruturar mais para que seja sustentável. É muito fácil hoje vc encontrar com um artista excelente fazendo jornada dupla com um trabalho formal.

Muito obrigado pelo apoio e oportunidade!"



(Veja este vídeo... é muito bom !!!)

Veja e escute mais:
- Trama Virtual
- MySpace
- YouTube

3 comentários:

Marcus Mikhail disse...

Gde descoberta !

Muito bom o som dele!
Mais um musico telentoso que dificilmente chega a um público maior.

abraços

Anônimo disse...

Cara mt bom seu som, tb me apaixonei pelo som do weissenborn, embora ainda nao toque at all

Posta seu trabalho na comuna do BH o orkut

Alexandre

Anônimo disse...

parabens....impressionante como esse pais desvaloriza e n reconhece artistas .... muito bom ....muito grande o som.....muito som p ti ............

northon h frederico...instrumentista ..c/b