quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Vozes do Blues com Isabel Tavares

Neste pequeno período que escrevo o Blog, sempre pensei quando falaria das vozes do Blues nacional.

Nunca encontrei uma oportunidade para iniciar este assunto, mas em um show que assisti desta mulher, eu realmente quase chorei ao escutar uma música que ela interpretou. Nesse momento percebi que esta era a hora certa de falar dos vocalistas de Blues.

Trago mais uma vez para as páginas do Blog, uma mulher que está fazendo a diferença no Blues nacional, Isabel Tavares, que na minha opinião é a maior revelação do Blues brasileiro.

TB: Sei que você veio de outro estilo antes de entrar no Blues. Existem diferenças em se cantar Blues e o Metal?

IT: “Apesar de ter estado em uma banda de Heavy Metal, não cantava com o vocal característico daquele estilo. A banda que eu cantava se chama Thuatha de Danann e faz um som muito diferente e característico, onde o Heavy Metal e a música Celta se fundem. Por isso cantava com voz de “Fada”, que é como costumavam me chamar na banda (hehehehe).
Sempre gostei do timbres e da potência das vozes das cantoras negras, principalmente na música negra americana, como Blues e Soul, e era daquele jeito que eu me via cantando, com aquela ‘pegada’, com aqueles vibratos e energia peculiares. Quando recebi o convite pra entrar numa banda de Blues, não pestanejei.

Sem dúvida a diferença em cantar esses dois estilos é enorme. Na música Celta a suavidade e sutileza são características fortes, e no Blues/Soul tudo é energia, e energia forte.

Gosto dos dois estilos, ouço muita música Celta, como Clannad e Blackmore’s Night, assim como ainda ouço muito Rock. Mas me identifico muito mais com o jeito de cantar da música negra... os vibratos, os gritos, os malabarismos com a voz, o sentimento à flor da pele, esse é o grande tesão desse tipo de música. Cantores como Aretha Franklin, Tina Turner, Stevie Wonder, Etta James, Koko Taylor, Ray Charles... realmente me inspiram.”

TB: Você canta com muita facilidade, alcança notas impressionantes e além do fato de utilizar técnicas o vibrato perfeitamente e sem exageros. Você já estudou canto?

IT: “Eu nunca estudei canto. Acabei desenvolvendo instintivamente as técnicas que uso pra cantar, mas se você me perguntar o que é que eu estou fazendo não sei te responder, não tenho nenhuma teoria ou conhecimento mais profundo de música.

Quando era adolescente cantava junto com as músicas e me desafiava a alcançar notas mais altas, a sustentar as notas mais agudas, escutava os cantores que me influenciavam e os imitava. Isso deu certo por um bom tempo.

Mas nada como estar em uma banda de verdade! Minha voz cresceu absurdamente depois que comecei a cantar na Black Coffee, hoje faço coisas que há três anos julgava serem impossíveis de fazer. Isso porque a rotina de cantar sempre, as músicas que escolhemos em nosso repertório, que são cada vez mais difíceis de cantar, isso tudo faz com que eu desenvolva minha voz, e também conheça meus limites, o que é muito importante.

Mas quero estudar sim, infelizmente não tenho tido tempo pra isso, mas é algo que está em meus planos futuros. Quero saber melhor o que estou fazendo com minha voz, até pra preservá-la e desenvolvê-la de forma correta.”

TB: Alguns vocalistas não bebem nada gelado ou não fumam horas antes de cantar, você segue alguma regra dessas antes de entrar no palco?

IT: “Hahahahahaha... Eu não sou a pessoa mais indicada pra falar sobre cuidados com a voz.
Fumo e bebo gelado, a única exceção é quando estou com a garganta um pouco frágil, nesse caso pego mais leve com as extravagâncias.

O que costumo fazer é um aquecimento antes de cantar, faço uns exercícios para relaxar os músculos da face e a língua, além de algumas poucas vocalizes, e só.”


TB: Me impressionei com um vídeo da Black Coffee, onde você se emociona cantando a música “I Never Loved A Man (The Way That I Love You)” e quase não consegui segurar as lágrimas. O que te deixa tão emocionada assim? Quais fatores que mechem com seus sentimentos quando você está cantando?

IT: “Ouvi essa música pela primeira vez quando estávamos escolhendo o primeiro repertório da Black Coffee, me apaixonei por ela e pela emoção com a qual a incrível Aretha Franklin a canta. Mas obviamente não estava preparada pra ela ainda. Há algum tempo sugeri ao pessoal da banda que tocássemos essa música e todos concordaram na hora.

Essa é uma música muito difícil, especialmente pra mim, pois a Aretha tem agudos lindos e cristalinos, ao mesmo tempo ela tem uma força na voz, algo único, e o grande desafio era tentar me aproximar daquilo, sem pretensão alguma, porém disse a mim mesma que só a cantaria se estivesse segura, não queria comprometer a beleza da música.

Esse vídeo que você citou foi gravado no Centro Cultural São Paulo, e tudo o que aconteceu aquele dia me emocionou muito, o carinho do público, a casa cheia, a gravação do DVD, enfim, tudo contribuiu. Desde que entrei no palco fiquei com o pensamento nessa música, pensei várias vezes em não fazê-la (essa foi a primeira vez que íamos tocá-la ao vivo). Bom, resolvi cantar, e saiu melhor do que eu esperava, acho que muito mais pela emoção do que por qualquer outro fator. Me emocionei, e muito mais importante que isso, conseguimos emocionar as pessoas. Isso não tem preço.

Saber o que está cantando é um passo muito importante pra interpretar a música. A música, o público e a história contada na letra são os estopins para a emoção.

Sou uma pessoa que gosta de viver de emoções, sou feita muito mais emoção do que de razão e a arte de cantar me desperta isso da forma mais latente. Meus amigos e músicos contribuem para essa emoção, às vezes olho pra um deles e vejo um sorriso de incentivo, a alegria de tocar nessa banda, isso não tem palavras que explique. Quando vejo que eles conseguem tocar o público com a música, isso também me orgulha e me deixa muito feliz e honrada de fazer parte de uma banda onde a amizade é o ponto mais forte de todos.”

TB: Bel, muito obrigado por sua colaboração, fico muito feliz em ter você mais uma vez fazendo parte do meu Blog. Deixo aqui o espaço para seus comentários finais.

IT: “Eu que agradeço, e muito, pelo apoio e amizade de sempre. Seu blog está com qualidade e conteúdo excelentes, e estou muito honrada de ter sido convidada a participar dele novamente. Parabéns!

Agradeço também aos amigos e admiradores da Black Coffee pelo carinho de sempre. Vocês são demais!

Um grande beijo ao Márcio, Wagner e André, meus amigos de banda e músicos de talento ímpar.
E por último, mas não menos importante... um grande beijo ao meu parceiro de banda e de vida, Oswaldo. Te amo!

Nossa... to parecendo o Maguila “Queria mandar um beijo pro açougueiro...” hehehehe. Robertão! Obrigada novamente pelo espaço. Longa vida ao Terremoto Blues Blog.”


(Quero que alguém me mostre uma revelação mais importante que esta.)

Site:
- Black Coffee

7 comentários:

Anônimo disse...

Realmente essa vocalista é de extrema competencia e dona de uma voz que peço a Deus q abençoe , pq precisamos disso no Brasil, ja que estamos cada vez mais crescendo com o Blues.
E aos poucos ewstao aparecendo mulheres espetaculares cantando Bluesw, teremos agora no proximo sabado 08.11.07 no delta blues uma apresentaçãoonde priorizam as mulheres estarao por la outras vocalista que ate onde eu sei são maravilhosas tb , Suelen Frazz (Alfenas MG) Hilmara Fernandes (Belo Horizonte MG)
Isabel parabens vc tem um potencial que ainda nao conhecemos totalmente continue desenvolvendo isso q o resultado serta maravilhoso.
paz
oswaldo Black Coffee

Anônimo disse...

Eu sempre digo isso a todos...a Bel é a melhor das melhores!!!
Canta com uma força incrível, um feeling musical excepcional...emociona quem a ouve.
Logo vai encabeçar a Billboard como uma das vozes mais ouvidas no mundo...hehehehe
Mas apesar de tudo isso, ela é freguesa no Imagem & Ação...ahahahaahahaahahahahahaahahahahaha
Bebel...vc é maravilhosa!!!
Te amo, minha irmãzona linda!!!!!
beijo
Alê - Electric Muddy Blues Band

eagaspar disse...

Cara, essa mulher tem um VÓZ incrivel, e uma presença de palco, é um show, Bel vc esta de parabens, e que papai do céu continue a te iluminar, pois ele te deu um dom maravilhoso, não canso de escutar vc cantar.
mais uma vez Roberto uma exelente pedida.

Marcus Mikhail disse...

Acho q os colegas acima já falaram muito sobre a Isabel e sua voz. Com sua extrema competência, relatos como esses serão comuns, tamanha sua evolução. E mais uma vez o Roberto aproveitou para comentar alguns detalhes importantes, como por exemplo a interpretação de "I never Loved a Man.." Eu já havia assistido o vídeo citado, mas fiquei impressionado e emocionado com a execução dessa música no show do CEU Cidade Dutra no último dia 30/11. E esse foi um dos pontos mais comentados do show por presentes e colegas que lá estavam!
Vida longa a essa voz maravilhosa. Sorte do blues e do soul feito no Brasil e sorte nossa!

Paulo Coruja disse...

Realmente ela é impressionante, ainda mais neste estilo!!! Parabéns, Isabel e Black Coffee!!

Grande Abraço!!!

Hohmer disse...

Bom,

só pra resumir o que eu acho da Bel(Vulga senhora Cachorrão), eu peço a Deus todo dia pra minha filha ter uma voz e uma presença de palco assim e não escolher cantar axé. A voz dela e sua interpretação detonam, além do carisma.

Gerlane disse...

Bel vc é demais, felicidades e parabéns a banda, ainda vou assitir um show de vcs.
Gerlane