segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Mestres das seis cordas com Johaine Droppa

Hoje tenho um presente para os leitores do Blog, trago de Curitiba uma bluseira de 16 anos, que está iniciando sua carreira.

Johaine Droppa é uma guitarrista e vocalista muito talentosa. É fácil notar que o blues realmente faz parte de sua vida, basta observar a forma dela tocar e cantar.

O Brasil precisa de novos talentos, para mostrar o blues para as novas gerações, e se dependermos da Johaine, o trabalho será muito mais fácil.

TB: O blues não é tradição no Brasil, além disso, é quase um som liderado por homens. Como uma garota de 16 anos entra no blues cantando e tocando tão bem? Como isso começou?

JD: "Desde pequena eu sempre fui muito ligada a música. Comecei com aulas de flauta doce aos 7 anos de idade, com 10 anos fui para o piano. Porém não estava me identificando com nenhum desses instrumentos. Aos 12 anos de idade resolvi começar a ter aulas de guitarra e nunca mais parei. Fui conhecer o blues algum tempo depois, na verdade tudo começou com Elvis Presley. Minha mãe me mostrou um CD dele e eu simplismente adorei aquele som. Comecei a procurar tudo sobre o rock’n’roll e acabei chegando nas origens, o blues. Aí não teve mais volta, era um som que escutava e sentia na alma, e com isso só pensava em tocar blues na guitarra, coisa que até hoje não consigo parar de fazer."

TB: O que você pensa do seu futuro no blues? Onde você quer chegar?
JD: "Bom, eu estou começando tudo isso agora e está sendo uma novidade para mim, mas eu estou confiante e muito feliz de que meu futuro no blues dará certo, pois faço isso com o coração. Sou capaz de abandonar tudo pelo blues e se puder viver apenas da música farei isso. Quero sim chegar muito longe, mas isso não é a minha prioridade, só o fato de estar tocando e ver pessoas que gostam do que eu faço já é o suficiente para me deixar contente."


TB: Quem são suas influências? Quanto tempo você estuda música por dia?
JD: "Minhas influências são bluesmen como Muddy Waters, B.B. King, John Lee Hooker, T-bone Walker, Albert Collins, Jimmy Reed, entre muitos outros. No Delta gosto muito de Robert Johnson e Son House. Não posso negar que também gosto muito do rock’n’roll de Chuck Berry e do rei Elvis Presley. Dentre os músicos brasileiros Décio Caetano tem sido a minha maior influência, afinal sou a fiel aprendiz dele. Estudo música por aproximadamente 2 ou 3 horas por dia quando estou em aula. Nos finais de semana e em feriados passo praticamente o dia inteiro com o violão embaixo do braço."

TB: O que você diria para as meninas que querem tocar blues? Qual o caminho?
JD: "Para as garotas que querem tocar blues, vão em frente e nunca desistam. Façam a música com o coração e não deixem o preconceito impedi-las de fazer isso. Novas portas estão se abrindo para as mulheres, por isso, se aparecer uma oportunidade, agarre-a."

TB: Johaine, você é muito jovem e com um futuro indiscutível. Fico muito feliz em ter você no meu blog. Agora deixo este espaço para seus comentários finais.

JD: "Roberto, muito obrigada pelo espaço cedido em seu blog, eu fico muito contente. Quero agradecer o apoio indiscutível de toda a minha família, que vem me apoiando desde o início na carreira musical, principalmente meus pais Emerson e Elizabeth. Obrigada também ao meu tio Samir, que contribui sempre com seus conhecimentos musicais. Agradeço também aos meus amigos que acreditam em mim, com destaque especial para a Renata(Japa) que é a minha inseparável baixista talentosa e é claro ao meu grande mestre Décio Caetano, o qual me levou até o mundo do blues, sempre acreditando em mim e me ensinando técnincas novas na guitarra.

Mais uma vez muito obrigada a todos e espero que gostem do meu som. Vida longa ao blues!"


(Mr. D.C. Blues)Este som ela fez para seu mestre Décio Caetano


(If you love me like you say)

Contatos para Shows.

11 comentários:

eagaspar disse...

adorei, mais mulheres no blues, depois de filmar o evento de mulhres gaitista, agora temos uma nas cordas, isso pra mim é demais.
sucesso pra vc, e Robertão vc é o cara

karina disse...

Que as mulheres venham cada vez mais!
Bjo

Claudio Ribeiro disse...

O blues tem tradição de mulheres no vocal, algumas nas cordas, outras poucas na bateria.
Que venhma as mulheres, gaitistas, guitarristas, baixista, bateristas, vocal e backvocal, pra iluminar esse universo maravilhoso e altamente gratificantes do blues.

Sou fã delas !

mamis disse...

Se vocês observarem a bluseira está tocando um violão de doze cordas. Portanto é a mestre de doze cordas... além das seis.

Fer Viana disse...

Ela manda muito bem.
e tem um futuro e tanto pela frente :)

meu orgulho!

elizabetinha disse...

Johaine lindona!!! Parabéns pra vc e sua banda!!!!
Torço pelo seu sucesso!!

Sam disse...

Esta é a minha menina...
Princesa Brasileira do Blues...
Fui eu que apontei o caminho pra ela (nessas horas modéstia não existe...)
E eu sou o Tio Samir...

decio disse...

jojo vc e simplesmente,surpreeendente,alem de ser seu professor e amigo,sou seu fa,muito som ,muita paz na sua vida,vc merece,decio caetano

Reis, Rafael disse...

A johaine é Méal!

Anônimo disse...

SO PODIA SER ALUNA DO MESTRE DECIO.
PARABENS
OSWALDO BLACK COFFEE

Marcus Mikhail disse...

Uma grata surpresa, como sempre ocorre aqui no blog.
Vale lembrar tbm que a primeira gravação de um blues com vocal, foi realizado por uma mulher, Clara Smith. Portanto, o blues é muito especial qdo interpretado por mulheres, até pela tradição.

gde abraço